sábado, 26 de dezembro de 2009

37 semanas

A reta final da gravidez é algo inexplicável. Meu corpo parece que não é meu nessa última semana. São 37 semanas e não me reconheço. Para andar, abro as pernas o máximo que consigo e me movimento, não, me arrasto teatralmente como se fosse a coisa mais difícil do mundo. Na verdade no momento para mim é. Não sei se as pessoas entendem, mas o peso parece que só cresce a cada momento, tornando-me cada vez mais lerda.
Por outro lado, a felicidade por estar finalmente perto de segurar minha filha nos braços é imensa. E essa ansiedade misturada com o desconforto físico resulta num misto de emoção e mal humor. Toda vez que abro a boca é para xingar alguém (meu marido normalmente) e depois de cinco minutos me dá um vontade louca de chorar. Já perdi as contas de quantas vezes hoje as lágrimas vieram aos meus olhos.
Parece que somos eu e ela incompreendidas no mundo. Se ela sente o que eu sinto é isso o que sente então. Incompreensão. Parece que o mundo espera de nós algo tão difícil! Não sei como explicar, mas acho que é daí que vem o mal humor.
Agora por exemplo, minha luta foi para conectar a internet... estou na casa do meu pai e tive que improvisar pela discada... Nossa que estresse, rsrs. Mas tudo bem, acho que daqui alguns dia vai passar. Só não gosto dessa sensação de incompreensão e desconforto que sinto. Ainda bem que Letícia entende! Sinto a compreensão dela, e ela sente todo o meu amor que é imenso!!!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Final de Gestação

É um pouco dificil descrever o final de uma gestação.

Emocionalmente me sinto um turbilhão de emoções. Estou feliz de uma maneira que nunca estive, pronta para receber em meu lar, esse pequeno ser que é um pedaço de mim e da pessoa amada. Que reflete não apenas um momento de calor, mas um momento de amor, de junção. Ver-se representado a quem se ama, em um outro ser humano deve ser algo extremamente gratificante.
Como disse certa vez, é a maneira de se materializar o verdadeiro amor.

Curioso que isso aconteça próximo ao Natal. Um pouco depois na verdade, mas o que quero dizer é que neste momento, as vésperas de comemorarmos o nascimento de Cristo, e olhando pelos presépios afora as figuras da sagrada família, percebo o quanto uma família deve ser mesmo sagrada. O quanto cada um pertencente a ela tem que se doar, para jamais destruí-la.

Também me sinto apreensiva. Acho que é coisa natural de grávida, um certo receio de não saber como é o parto, como a bebe vai nascer..., mas nada que seja uma nóia grande.

Fisicamente... bem fisicamente é um pouco mais complicado. A barriga está pesada. É dificil levantar, sentar, ir ao banheiro, e principalmente dormir. Me sinto frágil, como se fosse quebrar com um movimento mais brusco. Tambem não me sinto nada atraente, e embora goste de ver a barriga no espelho, é só ela que gosto, porque olho para meu rosto formato bola e meu cabelo duas cores e me dá desespero.

São desconfortos que valem a pena, que logo passaram, ou serão esquecidos quando tiver com minha filha dos braços. Mas o relato é válido para o blog, afinal, como diz o ditado, ser mãe é padecer no paraíso.

36 semanas

A cada dia está mais perto. A sensação é estranha, misto de ansiedade, receio, expectativa. Como será o rostinho de minha menina?
Herdará os olhos expressivos e os cílios longos do pai?
Terá o nariz meio arrebitado como o da mãe?
Verei nela traços de meu sorriso que tanto encanta meu marido?
Será inovadora, inteligente, esperta e ativa como o homem que amo?

São tantas perguntas e especulações sobre respostas que às vezes ficam tonta!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

34 semanas

Em pouco mais de um mês, talvez até menos, estarei com minha filhinha nos braços. Procuro pensar positivo, que tudo irá correr bem, que ambas passaremos por esse maravilhoso e misterioso mundo do parto com tranquilidade.... mas tem hora que bate um desespero sabe?



Hoje, eram 4h da manhã quando acordei e perdi definitivamente o sono. Virava de um lado, virava de outro e nada do sono voltar. Não aguentei... caí no choro, sei lá porque. Estava pensando nos traços dela (que eu fabriquei) e em como será o momento, e então me deu uma vontade louca de chorar. Coitado do marido que acordei uma hora mais cedo do que o costume só para perguntar aflito o que eu estava sentindo... e como explicar que era apenas... medo e felicidade!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Amor de mãe



Amor de mãe é assim...

... se manisfesta em pequenos gestos e torna-se mais forte a cada momento.

... um pouco de alegria e dor, ansiedade e medo.

... extenso como um oceano e delicado como uma gota d'água.

... terno, profundo, meigo, intenso, delicado, ansioso.

... simplesmente indescritível

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

32 semanas

Esta semana, quando fui visitar os sites de costume para ver o desenvolvimento do bebe com 32 semanas me deu um frio na barriga. Há alguns meses, eu estava no começo da régua, lendo entusiasmada as mudanças que ocorriam no meu organismo e no da minha filha com 15, 16, 17 semanas. Quando vi a régua chegando ao fim... (afinal 32 é bem perto de 40) senti um vazio no estômoago.

O entusiasmo é o mesmo claro, mas a sensação de que logo ela estará aqui, me traz um misto de agonia e felicidade. Felicidade porque o que mais queremos é ver o rostinho da Letícia, com quem ela se parecerá, sua maneira de descobrir as coisas, seu jeito de sorrir, sua maneira de fazer manhã. Agonia, porque daqui algumas semanas eu estarei em prova.

Prova? Prova sim. Terei que provar a mim mesma que sou capaz de ser uma boa mãe. Que saberei cuidar de um ser tão pequeno e frágil. Que conseguirei advinhar as necessidades dela enquanto só o choro será a manifestação de que ela precisa de algo. Não há como não sentir uma pontada de medo nisso.

Vemos tantas notícias ruins, tantas manias horríveis que os jovens tem hoje, tantos problemas infantis, que ficamos assustados ao perceber que daqui pra frente seremos educadores, formadores, exemplo para nossos filhos. Temos a responsabilidade de formar esse pequeno ser, um pedaço de nós.

Quando assisto em filmes um bebê nascendo, começo a chorar. De emoção e nervoso, porque sei que minha vida vai mudar. Como fazer para ensinar a ela tudo o que sei? Tudo o que acho certo e errado? Quem não tem filhos pode levar a vida com certa desconcentração. Mas quem tem sabe a sensação de ser extremamente responsável por outra pessoa. Nem em um casamento, nem em uma amizade temos uma sensação parecida como essa: um outro ser humano depende única e exclusivamente da gente, para sobreviver, para aprender, para ser completo.

Dentro em pouco descobrirei como vivenciar essa responsbilidade que já está em minha mente. Nunca ninguém me disse a real amplitude disso. O que os pais da gente costumam falar é: você vai ver como é quando tiver seus filhos...

Registro aqui uma promessa a mim mesma e a minha filha: antes que ela se case, antes que seja mãe, eu vou dizer para ela qual é a sensação de se ter um ser humano que depende da gente.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

30 semanas

Sete meses completos. É a reta final da gravidez. Nem dá para explicar a ansiedade que sinto a cada dia. Quero que ela nasça o mais tarde possível, para sair bem forte e saudável, mas confesso que tem horas que bate aquela vontade imensa de ver a carinha dela logo.

Eu tinha feito uma US no dia 20 de outubro e ela estava bonitinha, cefálica. No dia 28 não me senti muito bem. Uma cólica forte (intestino) e fui para o PA. Fiz outra US e não é que a danadinha sentou?

Agora é esperar para ver se ela vai desvirar. Acho que ainda não aconteceu, porque sinto os chutes bem na parte de baixo na barriga e uns empurrões de lado. Sem falar na pressão do meu estômago (que eu acho que é a cabeça dela).

Por aqui está fazendo muito calor e isso deixa meus pés inchados... eles estão aparecendo um pãozinho bem redondo... horrível, rsrs

Além disso, parece que sinto uma leseira, uma preguiça que não é minha. Embora toda a felicidade pela chegada da Letícia seja contagiante, não consigo deixar de sentir os desconfortos. Bem dizem que ser mãe é padecer no paraíso.

Não dá para descrever minha alegria com os movimentos dela, mas existem alguns, que eu até grito porque dói e é de surpresa!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Chá de bebê

No último sábado, fiz o chá baby bar para a Letícia!
Foi muito gratificante ver familiares e amigos compartilhando de um momento tão especial. Em todos aqueles que foram deu para perceber o carinho que possuem pela minha filhotinha. Ficou tudo muito lindo, a mesa, o painel de boas vindas, as mesinhas decoradas, as lembrancinhas dentro da cestinha, o bolo, os quitutes...

Minha irmã inventou um quadro de recados para deixarem para a Letícia. E eu li um por um, todos os bilhetes que ela recebeu. Cada um deles cheio de amor que fiquei várias vezes emocionada. Aliás, não faltou emoção... como prenda, pediram para eu fazer uma declaraçãode amor para ela... claro que já fiz chorando. Vou postar a declaração de amor depois, o vídeo está em outro micro, mas só quero usar o blog para agreceder a todas as pessoas que lá estiveram e que levaram muitos presentinhos e fraldas!!!!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

28 semanas

Letícia está crescendo a cada dia. Segundo o laudo da US ela pesa 1,175 kg e te 34 cm. E o nariz igual ao meu. Sim, eu consegui observar isso e estou maior orgulhosa.

Daqui pra frente, com a entrada do sétimo mês entramos em contagem regressiva. Por mais feliz que esteja com minha princesa, não posso negar alguns desconfortos que vem com a gestação. Minhas mãos e pés estão cada dia mais inchados. Para dormir também édifícil, minhas costas doem. Ando lentamente com as pernas abertas e algumas tarefas simples do dia a dia estão comprometidas.

O interessante, é que por maio que seja a dor, a qualque chute ou movimento da minha filha em meu ventre ela passa! Não há sensaçao melhor

Homenagem

Primeiro, não, não abandonei o blog. Mas as útimas semanas foram realmente uma correria. Organiza o chá de bebê da Letícia, alguns compromissos de trabalho e um projeto de pesquisa da pós graduação me impediram de ser mais ativa.


Agora quero prestar uma homenagem para uma amiga. Não vou dizer o nome por questão de privacidade, mas ela saberá que é para ela.

Amiga, você não perdeu seu anjo. Você ganhou um anjo que irá olhar para você o tempo todo do céu. Não é fácil entender isso. Eu também não entederia, mas tudo o que te disse na seman passada sobre o que Deus planeja para nós e o que nós fazemos por Ele, vem do fundo do coraçao. Haverá dias tristes, dias um pouco alegres, dias que pensará nisso pouco, dias que não pensará em outra coisa. Mantenha-se forte na fé, no amor de Deus, no amor de sua família encontrará para passar por tudo isso. Então, um dia, em breve, Deus te dará outro maravilhos presente e você será feliz. Tenho certeza diss.
Conte comigo para o que precisar, sempre!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Ansiedade..;

Às vezes me ponho a pensar em como grávidas são ansiosas por natureza. No início da gravidez nao via a hora de sentir o bebe mecher. Fica me torturando por não sentir as famosas tremidinhas, apavorada. Depois veio a ansiedade para saber o sexo. Agora, com 27 semanas, com o pé no início do terceiro trimestre só consigo pensar em uma coisa: ter todos os objetos, roupas e utensílios que minha filha irá usar. Sei que logo mais, estarei na fase de não ver a hora de ver o rostinho dela. Mas confesso que já penso nisso também.

Acho que sou um pouco pior, porque já imagino ela falando, chamando mamãe, brincando com o pai, querendo dormir com o cheiro dele (porque eu só durmo assim). Digo constantemente que ele é um sortudo que derá em casa duas mulheres completamente apaixonadas por ele o agarrando o tempo inteiro. Gosto de ver a expressão de alegria nos olhos dele quando faço esse comentário. E já imagino as inúmeras vezes que apreciarei os dois amores da minha vida dormingo abraçadinhos.

Dizem que amor não se pode materializar. Mas acho que pode sim. Uma imagem dessa é uma prova material de amor.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Cama da babá


Vista do quarto pela porta de entrada


Vista da entrada da porta


Cômoda e Berço


Detalhe das laterais e boneca

Preparativos

Os preparativos para a chegada do bebe é uma das partes mais gostosas da gravidez.

Estou iniciando a montagem do quartinho da Letícia. As paredes receberam retoque de pintura da cor palha. Os móvei branco com brilho foram montados. Os kits do berço e da cama já chegaram. Faltam os colchões. No entanto para tirar algumas fotos eu coloquei só o mosquiteiro!!! Acho que possi dizer que o quarto esta 50% pronto

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Alguns minutos

Todos os dias paro por alguns minutos em silêncio só para sentir os movimentos da minha boneca em meu ventre. São momentos em que tudo ao redor parece supérfluo, ou mesmo não existir, onde existe apenas eu e ela. Adoro esses minutos!!!

Durante a sensação gostosa dela mexendo fico imaginando como será seu rostinho. A maneira de sorrir, de olhar, de descobrir as coisas. É tão boa essa sensação!!!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

24 semanas

Os movimentos da minha pequena estão cada vez mais intensos. Tem hora que sinto chutes ritimados na parte baixa da barriga. Ela troca muito de posição e toda vez que faz isso, sinto a barriga endurecer, como se tivesse uma bola girando dentro de mim. É muito gostosa essa sensação.
Apesar de ainda ser muito pequena seu corpinho passa por intensas transformações. Li que nessa fase, seu cérebro está se desenvolvendo mais rápido, seus pulmões estão amadurecendo a fim de proporcionar todo o ar que ela precisa ao nascer e ainda o fôlego suficiente para abrir o berreiro na hora do nascimento. Parece que a partir de agora, ela pode também ouvir claramente a minha voz e até meus sons estomacais, mas ela também pode ouvir sons externos e inclusive se assustar com eles.
Pensando nisso, converso com ela todos os dias. Chamo-a pelo nome, Letícia, e digo todos os sonhos, desejos e anseios que temos por ela. Estou treinando meu marido para fazer o mesmo. Ele acha meio estranho, pois ainda não caiu a ficha que ela também pode ouvir a voz dele, mas pode sim. Acho que por isso, quando nascem, o colo da mãe fazem os bebezinhos ficarem quietinhos... eles escutam a voz da mãe dentro da barriga, o coração da mãe, todos os seus ruídos internos. Assim, quando estão fora, ao mínimo contato ou palavra reconhecem o ventre acolhedor.
Deus é muito grande e maravilhos de proporcionar a nós mulheres esse momento. Ter uma vida dentro de nós é uma sensação única.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

22 semanas (quase 23)



Essa foi tirada hoje, antes deu ir para a Hidroginástica. É gostoso sentir os chutes da Letícia!

Quando ela fica muito quietinha eu cutuco

ela pra mexer!

Apesar dessa raiz escura e da queda de cabelo, é uma delícia curtir cada momento desse serzinho que cresce em mim!

Foto de 20 semanas





Esse é o barrigão de 20 semanas!!!

Demorei pra postar a foto, mas enfim consegui!!!

Cinco meses completos e olha ela aí!!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

22 semanas

Agora, já completei 22 semanas e todos na rua já percebem que não sou mais uma mulher rechonchuda e sim grávida! Empino a barriga um pouco mais só para ter esse gosto, de ver as pessoas passando e sorrindo pra mim!

Os chutes da Letícia estão cada vez mais constantes. Agora mesmo sinto um. Quando ela fica quietinha e eu me preocupo, ela chuta na hora, parece responder "Calma mamãe, estou aqui".

Na última consulta meu médico avaliou o laudo morfológico, disse que está muito bem e conversamos sobre vários temas: parto, escolha do pediatra, etc. Alguns temas eram para ser falados mais tarde, mas como sou ansiosa, perguntei antes e acabei tirando umas dúvidas que pairavam sobre minha mente. Estou pensando tanto do parto que esta noite até sonhei. Mas minha mãe e minha avó materna eram as parteiras. Acordei rindo.

Todos os dias converso com minha pequena boneca. Seja em voz alta ou em pensamento, porque acredito que ela possa lê-los ou sentí-los de alguma forma. Esta semana também comecei na hidroginástica. Uma maneira de fazer alguma atividade, descontrair a mente, relaxar o corpo que está ficando meio tenso e pesado.

Os móveis do quartinho dela já chegaram e às veze seu me pego perdida em pesamentos, em pé no meio do quarto olhando para eles e imaginando minha boneca lá. Ela está aqui chutando incansavelmente, talvez porque saiba que estou falando dela nesse momento. Apenas na última frase deu três chutinhos. São leves, parecem uma bolha de ar estourando na barriga, mas sei que são dela!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O ser humano que eu desejo que minha filha seja

As mães costumam ter muitos sonhos e desejos para os filhos. Primeiro, querem que eles sejam saudáveis. Depois que sejam bonitos. Quando crescem um pouco, anseiam para que sejam inteligentes na escola. Almejam que eles escolham uma carreira próspera, onde serão bem remunerados e com nomes reconhecidos. Pergunto-me se alguma mãe, quando grávida, já pensou no tipo de ser humano que deseja que seu filho seja.

Porque sim, eu até desejo tudo isso, mas o que desejo mais que tudo, é que minha filha seja certo tipo de ser humano. Qual?

Um ser humano que conheça a existência de Deus. Que tenha olhos de bondade mesmo quando vir algo que não é bom e sabedoria para transformar a dor em aprendizado, as dificuldades em desafios, as limitações em conhecimento e as conquistas em agradecimento. Uma criança que divida com o próximo não só os brinquedos, mas as pequenas coisas que descobrir no dia a dia. Desejo que ela compartilhe com seus amiguinhos as idéias que tiver para que todos sejam mais alegres e felizes. Almejo que minha filha seja uma mulher que respeite as individualidades dos outros e dela própria, que conviva com a natureza sem explorá-la. Gostaria que ela olhasse o mundo com olhos de esperança, mesmo quando houver motivos para descrença. Desejo que ela tenha ambição: não de ficar rica e famosa, mas de tornar o mundo em que vive melhor, mais fraterno, mais puro, mais amoroso, mais feliz, mais divino. Desejo que ela seja uma senhora que deixe sua marca em cada lugar que passar, não necessariamente para lembrarem-se de seu nome, mas sim do que ela fez de bom. Desejo que ela tenha uma vida longa para poder fazer o bem o maior tempo possível, para o maior número de pessoas possíveis. E principalmente, desejo que ela encontre seres humanos semelhantes a ela, porque eles farão a diferença.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Letícia

Seu nome vem do latim, e significa aquela que está sempre alegre e que traz felicidade.

Nada mais justo a minha boneca ter este nome, já que tanta alegria e felicidade está trazendo às nossas vidas desde que foi gerada. Um dia ela lerá essas páinas e terá certeza que foi sempre amada e esperada, que cada dia enquanto a aguardamos é uma descoberta e uma alegria, como seu próprio nome diz.

Seu número de destino é 5 - O aventureiro - e o seu própósito de vida é realizar mudanças.

Sua pernosalidade é regida pelo número 8, e ela se expressará e comportára no mundo como uma pessoa que adora desafios e dá o melhor para cumprir cada uma de suas tarefas.

Sua alma e regida peo número 6, e indica que ela será uma criança de muita sensibilidade, com missão de estabelecer a paz e a harmonia.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

19 semanas

Mais uma semana e eu estarei na metade da gestação. Algumas pessoas dizem que é um período demorado daqui pra frente, mas a verdade é que pra mim passou rapidinho.
Não sei se é porque vivo numa correria desenfreada, trabalhando o dia todo, cuidando da casa, do marido, enfim. O fato é que desde que descobri esse pequeno ser dentro de mim até hoje, as semanas voaram!

Ontem tive mais uma consulta. A quarta. Meu ganho de peso foi praticamente nulo 200 gramas. O médico nem quis considerar, marcando na ficha o mesmo peso anterior que eu tinha (a gente não especula porque eu tava gordinha e não vou dizer).

Achei meio estranho novamente, porque ando sentindo tanta fome e comendo tanto que me sinto uma bolota. Mas a verdade, segundo ele, é que meu bebê é muito guloso mesmo, está consumindo tudo o que como. Ele me disse que eu corro o risco de sair da maternidade com menos peso do que quando entrei na gestação. Como assim????

Eu já poderia ter ganho um pouco mais de peso, se somado o que o bebe deve ter hoje,placenta, líquido aminiótico e o próprio útero que aumentou de tamanho. Isso quer dizer que meu bebê consumiu um pouco mais do que já tinha... e se eu continuar nesse ritmo, vou sair sim da maternidade mais magra do que entrei na gestação! Ai que sonho!!!!

O importante é que ele estava bem na avaliação médico. Com coração batento e se movimentando. Semana que vem farei minha ultra morfológica. Saber todos os detalhes desse corpinho que está crescendo em mim, e finalmente, se é um menino ou uma menina.

Não temos preferência, já imaginamos os dois em situações diferentes. Tem hora que chamamos o bebê de filhinho, ora de filhinha. O que desejamos é seja saudável, perfeito, porque amor pra ele (a) é o que não vai faltar!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

3 pontos

1) $$$
Sabe quando você entra em uma loja e te dá vontade de comprar tudo o que vê pela frente?
É assim que me sinto quando entro em lojas de bebês. É cada coisa linda que naõ sei pra onde corro. Por sorte da minha saúde financeira, ainda não sei o sexo do meu bebê. Isso está evitando o consumismo desenfreado. Na verdade ainda não comprei nenhum mimo para meu baby (com excessão dos móveis de seu futuro quartinho, que afinal, é branco e por isso neutro).

Assim que souber o sexo tenho certeza que minha saúde financeira vai por zero a baixo. Minha mania de consumismo não vai deixar ser diferente!!!

2) Mexe, mexe!
Ah, que inveja das gestantes que sentem o bebê mexer com três meses! Entrei na 17ª semana e não sinto nada. Minha irmã me disse que é porque sou muito agitada e que se eu ficasse quieta só reparando nas sensações iria sentir alguma coisa... mas estou meio frustrada com essa falta de movimento. Quero sentir logo os famosos chutes, cambalhotas e outros giros que o bebê dá na barriga. Acho que me dará uma sensação de tranquilidade quanto à saúde dele.

3) H1N1
Hum... eita coisa complicada viu. Estou na maior neura com essa gripe que parece não parar de se espalhar. Algumas pessoas me dizem que é neurose de minha parte, mas outras dizem que é pra ter preocupação mesmo, ainda mais grávidas, que fazem parte do grupo de risco.
Por via das dúvias, alcool na bolsa, nada de cinema, shopping só durante a semana que é vazio...


Um ponto a mais...
Ontem fiquei mor feliz que cheguei ao banco e o guarda disse que eu podia ir na fila de gestante!

Contraponto
Pequeno diálogo no centro da cidade:

_ Amiga! Quanto tempo!
_ Ah! Não vai me dizer que você está grávida!
_ Estou sim! Já está aparecendo a barriguinha?
_Pra falar a verdade nem tanto... mas você com o cabelo sem pintar e sem salto alto... só podia signigicar gravidez mesmo!

(é... coisa de grávida)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Eita fome

Ontem tive consulta com obstetra e se ele fosse professor teria me dado um estrelinha no caderno! Isso porque desde a primeira pesagem eu só engordei 500g! O que significa que tenho me alimentado muito bem.

A crença popular diz que o bebê do sexo masculino suga muito mais do que um do sexo feminino. Como tenho comido muito bem e engordado quase nada, será que em um garotão por aí? Ou é uma garotinha muito gulosa mesmo igual a mãe, rsrs.

Voltando a falar da minha terceira consulta, a avaliação dos exames foi super boa. O doutor comentou que a fase o enjôo (que eu nunca tive) já acabou, que a dor no seio diminuirá e que a fase agora é a da fome.

Isso é verdade. Como de duas em duas horas, porém só coisa leve, como frutas e barras de cereais.

Até agora ganhei nota 10!

terça-feira, 21 de julho de 2009

Meu bebê - 14 semanas

O primeiro eu fiz com 10 semanas, mas não postei porque era petitico e o DVD não leu em computador de jeito nenhum, só em aparelho comum.
Este tem 14 semanas... ainda não deu pra ver o que é, mas já deu pra ver bastante coisa! Eita emoção!!!





video

segunda-feira, 20 de julho de 2009

A ansiedade para saber o sexo

Na época da nossa avó, nenhuma mãe sabia se o seu bebê seria um menino ou uma menina. Acho que por isso inventaram tanta simpatia, testes, e olhômetros na barriga para adivinhar o sexo do bebê. Imagino quanta ansiedade essas mães tinham, porque eu, que sei que com o ultra morfológico já vai dar pra saber e só falta pouco mais de um mês pra isso já estou ansiosa, imagine elas!!!

Sei que não vejo a hora de ver se teremos um menino ou uma menina. Aí podere chamar meu bebê pelo nome, começar a pensar a decoração, e muitas outras coisas que ainda estão nebulosas da minha cabeça.

Por um momento, pensei em fazer tudo neutro e deixar para a surpresa vir na hora. Mas foi só por um momento, sou muito ansiosa e não aguento, rsrs

PS: ele já dobrou de tamanho! Vou colocar o vídeo da nova ultra em breve!!!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Crianças não devem ser deixadas sozinhas

Ontem, me entristeci com uma notícia que vi no jornal: uma menina de cinco anos sofreu uma queda fatal do quinto andar de um prédio. Ela estava sozinha, por alguns minutos, mas sozinha. Isso me faz postar, porque uma fatalidade dessa nos comove e muitas vezes nos questionar muitas coisas. Gostaria de lembrar a todos a necessidade de termos atenção com nossas crianças.

Imagine uma criança adormecida quando acorda e se encontra sozinha em casa. Ela procura desesperada pela mãe e sem encontrá-la, pode fazer coisas imagináveis para nós adultos, mas perfeitamente coerentes para uma mente infantil. Depois da notícia me peguei pensando que as mães, não conseguem ter um sono tranquilo, não conseguem usar o banheiro sossegadas e fazer seu dever de casa ou trabalhar da maneira como era antes. Me vi pensando em como será minha vida daqui alguns meses e pelos próximos anos.

Crinaça precisa de carinho, cuidado, zelo, amor. Algumas coisas são inevitáveis, mas fiz uma anotação mental para nunca, nunca deixar meu pequeno coração sozinho em nenhum lugar e verificar sempre os cadeados e trancas de portas e janelas. O pino do gás, as gavetas da cozinha. Moro em apartamento, ainda, mas vou morar em um sobrado, portanto, sei que meu amor e meu zelo devem ser o dobro daquilo que eu estava pensando.

Não podemos pensar que uma criança de cinco anos sabe o perigo que corre. Há um mês fiquei de babá de uma adorável princesa mais ou menos dessa idade. Não a deixei sozinha, mantive a porta da sacada e da janela bem trancadas e a cerquei de atenção afinal a responsabilidade era minha. Foi um bom treino, mas sei que o trabalho vai ser muito maior com o meu e o cuidado ainda mais necessário, porque será diário e a rotina tende a nos fazer errar.

Que Deus proteja todas as mães e os seus anjinhos. Sempre.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Obrigada!

A gravidez é um momento cheio de dúvidas. Bem, pelo menos a primeira é. A cada dia é uma surpresa. Tudo o que sentimos de diferente acaba se tornando algo grande e ligamos desesperadas para o médico para saber que a tal coisa é normal. No meu caso quem sofre é minha irmã. Como 90% das minhas dúvidas são umas bobagens absurdas e ela trabalha na área da saúde, pelo menos uma vez por dia o celular dela toca.

- Fala mamãe
- Olha só, minha barriga não está dura.
- E daí criatura?
- E daí que grávida tem que ter barriga dura.
- Quem te disse isso?
- Ah, não sei, mas tem que estar dura não tem?
- Depois de um certo período ela fica, não fica com neura.
- Eu não sou neurótica, só tenho medo de ter algo errado.
- Não tem nada errado com meu sobrinho, deixa eu trabalhar

Bem, normalmente a conversa é nesses termos, e hoje que pensei nela tanto devido a saudade (porque apesar dos telefonemas quase diários, estamos longe), conto isso só para agradecer o amor e paciência com a qual ela tem me tratado!

PS: minha outra irmã também é um anjo de candura (quando não está brava), mas não pode tirar minhas dúvidas médicas pois é estudante de direito, prometo ligar pra ela quando a dúvida for sobre processar alguém, rsrs. Amo as duas.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Amor não é só de mãe

Entrar em sites sobre gravidez, acompanhar semana a semana o crescimento desse ser que irá mudar nossas vidas. Essa é uma rotina de todas as mães plugadas na rede. Já perdi a conta das lojas especializadas que achei sobre o tema, que fazem decorações temáticas de quartos. Me encantei por vários, mesmo sem saber se é menino ou menina.

Mas a gente acha, bem pelo menos eu achava, que isso era um privilégio das mães. Vou explicar. Desde que nos descobrimos grávidas, já no sentimes diferente, afinal, durante os nove meses somos nós que alimentamos praticamente sozinhas nosso filhote, o carregamos onde vamos, o sentimos o tempo todo. Temos a impressão que o pai vai se tocando a medida que a barriga cresce, mas é que quando ele vê o bebezinho que realmente cai em si do que ele fez!

Ontem percebi que estava completamente enganada quando entrei no quarto e vi meu marido olhando em sites de bebê. Não tive como não me emocionar ao perceber que em treês meses, a vida dele também já mudou tanto quanto a minha, e que ele procura quieto, as informações sobre seu filho(a).

Ainda bem que ele é bem mais espero que eu em matéria de internet.... descobriu coisas muitos legais que me mostrou.

Sempre soube que a maternidade mexe com a gente. Agora, descobri que a paternidade também.

sábado, 20 de junho de 2009

Deus existe

Alguém tem dúvida que Deus existe? Se tem, acabará quando gerar uma criança. Saber que duas células, minúsculas, se transformam em um ser humano é tão mágico, que por mais que a ciência explique, não há como negar que Deus tem seu toque nisto.

Meu bebê ainda é um serzinho minúsculo, mas sim, já é um ser humano. Ontem fiz minha primeira ultrassonografia. Quem passou por isso sabe a emoção. Como alguém pode dizer que um embrião não é um ser humano? Perdi o fôlego quando ouvi seu coraçãozinho. E meus olhos encheram de lágrimas quando vi seus minúsculos bracinhos e pernas se movendo. Sim, o bebê se mexe!!!

Gravei o ultrassom, e confesso, já ter assistido várias vezes. É aquela imagem, pequena, que vejo por último quando vou dormir. O milagre da vida é um mistério, é a prova de que Deus está aí, dando luz em nossas vidas.

Esses dias lembrei de algo que o frei disse em meu casamento: que o matrimônio era a junção de homem e mulher em uma só carne. Só hoje entendi o significado real disso. Nós dois em uma só carne, nós dois em um novo ser humano. Nosso amor em uma vida que vai nascer.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Primeira consulta

Imagine os primeiros dias de uma mulher que se descobre grávida. Fisicamente, não há muito o que se notar, mas no coração, um turbilhão de emoções parecem surgir ao mesmo tempo. Uma criança querida, sonho da família, de ambas as famílias da mãe e do pai. Imagine a alegria dos tios dos avós, dos amigos. Se desse, todos iriam a primeira consulta, ouvir as palabras do médico sobre o que acontecerá daqui pra frente. Mas não dá!!! Só mesmo mamãe e papai.

Não dava pra esconder a alegria quando sentei diante de meu médico de tantos anos. Foi uma consulta baseada na conversa. Conversamos muito. A relação com o profissional que te atenderá nos próximos meses é muito importante. Ter confiança é fundamental. Eu tenho. Não deixe de perguntar, até as perguntas mais bobas são respondidas por ele. Não vá dormir com questões na cabeça. Pergunte!!!

Saí de lá imaginando o número de dúvidas que não tirei porque não me veio a mente. Lembrei de anotar todas para na próxima consulta não esquecer. Um monte de exames para fazer, ansiedade pelos resultados, e aquela sensação maravilhosa de saber que existe um ser humano dentro de você!

Sempre dizem que amor de mãe é único, que só quem sente pode descrever. Verdade? Não sei, mas sei que alguma coisa em mim já sente muito diferente.

A descoberta

Antes da descoberta, surgiu a desconfiança. Foi no dia das mães. Não lembro como o assunto surgiu, mas minha irmã querida, com naturalidade, comentou que eu parecia diferente. Não sabia precisar no quê, mas veio com a idéia de que eu estaria grávida. Como assim? Pensando bem, a visita mensal já devia ter comparecido, mas a correria do dia a dia não me deixaram pensar nisso. Será? Estava nos planos? Digo que sim, afinal quem não previne é porque quer. Esperava assim tão logo? Não, achei que ia demorar mais. Tudo bem, vamos ao teste. Dois dias depois um teste de farmácia e a ansiedade. Duas faixas rosas. O que significa mesmo? Positivo. Será possível? Melhor ter certeza, correr para o laboratório e confirmar o veredicto. O exame não deixa dúvidas. Está lá em todas as letras: POSITIVO. Agora sou uma pessoa diferente. Sou duas pessoas, em uma só. Que sensação estranha, maravilhosa e misteriosa ao mesmo tempo. Surpreendente. Vou ser mãe!